Archive for Acessorios e Afins

Fechado para balanço!

Fechando o ano de 2013 vamos aos números finais:

Para ter um controle e acompanhamento dos meus treinos eu uso a Planilha de Registro de Treinos do Fabio Namiuti. Clique na imagem e saiba como ter a sua também.

– Percorri 1425 km (a maior distância em um ano desde que comecei a correr em 2009);
– Fiz 120 treinos;
– Participei de 12 provas;
– Passei 141,28 horas correndo;
– A distância média por treino/corrida foi de 10,796 km com ritmo médio de 5:57 min/km (10,09 km/h);
– O dia da semana com maior rodagem foi no domingo, com 510,995 km acumulados e com menor distância foi na terça, com 110,180 km;
– Passei 64 dias sem poder treinar por conta de contusão, e desses 20 foram na Fisioterapia;
– Fiz meus melhores tempos nas provas:

10k – 10/11/2013 – Oscar Fashion Running  :  47:13
15k – 24/03/2013 – Corrida de Barueri :  1:16:30

Participei de corridas bem legais, fui pela terceira vez na Volta ao Cristo de Poços de Caldas e

Correndo com Fé!

Correndo com Fé!

pela segunda nos 15K de Barueri. Corri na USP na Night Run Especial Edition e na tradicional 18ª Corrida Centro Histórico de São Paulo e voltei na Maratona de Revezamento Pão de Açucar, dessa vez com a Equipe Equilíbrio. E tivemos a nossa Corrida de Verão da 100 Juízo, da qual além de correr, ajudei na organização, além dos treinos memoráveis da Equipe 100 Juízo no ano, não fui em todos, mas nos poucos que fui valeram a pena: Volta ao Banhado, Ataque ao Cume, entre outros muito bons.

Esse ano consegui que meu irmão Helder finalmente começasse a correr, já tendo inclusive

participado de sua primeira prova, também servi de incentivo aos sobrinhos(as) Rafael, Sefirah e o Jefferson. Além de também ter ajudado o amigo Maurílio a correr sua primeira São Silvestre.

Enfim foi um ano muito proveitoso, aonde corri mais e mais longe, incentivei, fiz novas amizades, abri novos horizontes e tenho certeza que 2014 será ainda melhor, correndo e apitando, com muita Fé!

O apito pode salvar sua vida!

Você tem que ajudar a Equipe de Socorro a te achar. Não é sempre que o Rambo está de plantão.

Você tem que ajudar a Equipe de Socorro a te achar. Não é sempre que o Rambo está de plantão. Na foto o Atirador Américo na mata do Morro de São Domingos (Poços de Caldas/MG) em missão pelo TG 04-021 no ano de 1988.

Outro dia achei no Blog do Ricardo Hoffman (Run for Free) uma dica muito interessante e útil sobre o uso do apito em trilhas e locais ermos, aonde o corredor que gosta de se aventurar pelo mato pode passar por apuros. Não conhecia essa regra que foi ensinada ao Ricardo pelo João Carlos, que é fundador e instrutor do Grupo de Treinamento em Selva e Montanha (GTSM) do Norte Fluminense.

Vamos a ela:
Em caso de estar perdido, para ajudar as equipes de resgate na sua localização, deve-se apitar 3 vezes, e enquanto não obtiver resposta do resgate, continue sempre apitando 3 vezes.

Se a equipe de resgate ouvir seu sinal de socorro vai responder apitando 2 (duas) vezes, e tão logo você escute, você responde apitando 2 (duas) vezes também, para sinalizar que escutou.

Se você parar de escutar a equipe de resgate, volte a apitar 3 vezes.

O pedido de socorro com 3 (três) silvos do apito é uma convenção internacional de resgaste, é a maneira correta de se pedir S.O.S como no código Morse, e na ausência do apito, você pode bater em troncos. Com uma lanterna você deve sinalizar como no código Morse.

Lembrando que é sempre bom, mesmo em percursos urbanos, deixar avisado por onde você vai correr. Assim fica mais fácil de te acharem em caso de emergência.

Para ler a dica completa no Blog do Ricardo clique aqui.

Ouça abaixo o Sinal de S.O.S.:

O Corredor Estiloso

Estilo e cara feia no sprint final. Esse é o Tonicão.

Esse é o Tonicão: Estilo e cara feia no sprint final. Atenção no detalhe do tenis, relógio e pulseiras.

Como disse o poeta da Equipe 100 Juízo, Antonio Pedro, o Tonicão: “Corredor ruim tem que ter estilo”, e em estilo, o Tonico é o primeiro colocado de todas as categorias. O cara não vai pra corrida se não estiver com a camiseta, shorts e tênis combinando, acrescente os “manguitos” e “canelitos”, pulseiras e faixas, sem falar que em véspera de prova ele passa mais tempo no cabeleireiro do que treinando, para deixar seus “dreads” arrumados.
Na máxima do poeta, se o cara não consegue se destacar correndo, então que se destaque de outra

Colucci lançando moda na Meia Maratona.

Colucci batendo recordes e lançando moda na Meia Maratona.

forma, pode até ser “apitando” ou fantasiado, mas o cara pode correr bem, baixar seu tempo e ainda lançar moda, como o Antonio Colucci fez, por conta do frio, na Meia Maratona Asics Golden Four SP, será que o ótimo desempenho se deu por conta do modelito?

Um cara que já ganhou 8 vezes a Maratona da Disney pode correr como bem entender.

Um cara que já ganhou 8 vezes a Maratona da Disney pode correr como bem entender.

Correr fantasiado também não é exclusividade da turma do fundão. Adriano Bastos octacampeão da Maratona da Disney, já correu a prova vestido de Minnie, o curioso é que quando correu vestido como a namorada do Mickey chegou em segundo lugar.

 

A São Silvestre é o paraíso dos fantasiados, na tradicional corrida festiva do último dia do ano se vê de tudo, passar pelo o Super-Homem, a Mulher-Maravilha ou o Incrível Hulk faz até você pensar que está correndo muito, deixando os super-heróis para trás, mas para ultrapassar o Homem-Aranha você vai ter que ter pernas. Nosso amigo Castor Meduza participa da São Silvestre desde 1992, e corre fantasiado desde 2006, é o primeiro Homem-Aranha da SS, e começou por pedido do seu pai, fã do herói. Hoje só participa de provas com a sua fantasia.

O Corretor Corredor é o do meio.

O Corretor Corredor é o do meio.

Outro estilo de corredor é o figurinha carimbada. O Corretor Corredor, é o clássico exemplo, com sua conhecida gravatinha e a simpatia de se fotografar com todo mundo e fazendo seu “Olhar 43”, é um cara querido por todos e que está em todas, e até quando ele não está, dá um jeito de mandar as gravatinhas para gente fotografar.

O Renato "Cassio" Ortolan e o Castor Meduza Homem-Aranha!

O Renato “Cassio” Ortolan e o Castor Meduza Homem-Aranha!

E quem nunca achou que estava correndo ao lado do goleiro Cássio do Corinthians em determinada prova? A quem diga que o  Renato Ortolan se parece mais com o Cássio do que o próprio, a foto tá ai pra provar.
O mundo dos corredores é assim, de uma forma ou de outra, você pode encontrar seu estilo para se destacar na multidão, correndo e se divertindo. Mas se você não quer aparecer, você pode até se “fantasiar” de corredor, e só correr! Boa corrida!

O Corredor do Apito na Runner’s World Brasil

Olha ai a dica do Corredor do Apito na Runner's World

Olha ai a dica do Corredor do Apito na Runner’s World

Foi o amigo Aldo que me falou: Lendo a edição de Fevereiro da Runner’s World Brasil, encontrou lá na página 81, na Seção “Leis do Asfalto”, a dica do corredor Silvio Américo, de São José dos Campos, popularmente conhecido por essas bandas como “O Corredor do Apito”.

Bom, muitos comentário a respeito da minha “superstição”. Mas explico: minha dica vai além da superstição. Então vamos lá:

Nunca correr correr com a camiseta da prova: Nessa própria edição da Revista Runner’s, na página 72 a técnica de triatlo de New England (EUA), Monica Brookman, não recomenda estrear uma peça de roupa na corrida. A camiseta pode ser confortável, ou não, e deixar pra descobrir isso no meio da corrida pode ser uma roubada.

 

Não usar a camiseta de uma corrida da qual não participei: Pode até parecer superstição, e pode até ser um pouquinho, afinal falo de correr o risco de nunca correr a tal prova da camiseta. Mas vejo a camiseta, assim como a medalha, o símbolo de uma conquista. Como não se fica andando com a medalha por ai, a camiseta é uma maneira de mostrar que sim, eu corri essa prova.

 

Para ler a Runner's Word na internet acesse o link: http://runnersworld.abril.com.br/

Para ler a Runner’s Word na internet acesse o link: http://runnersworld.abril.com.br/

Certa vez encontrei um amigo na academia, com a camiseta da Volta da Pampulha, como é uma prova que ainda pretendo correr, e curioso que sou, perguntei como era essa prova, o que ele achou, e tudo mais. Enfim, o cara ficou sem graça, e disse que nunca correu, que a camiseta foi presente. Mas ai, todo ano que ele se prepara para ir pra lá, acontece alguma coisa e mela a participação. (Esse é o lado superstição).

Fica então a dica, seja por superstição ou não, eu não uso camiseta no dia da prova e nem daquela prova tão sonhada, que ainda não corri, mas um dia irei participar.

 

Planilha 2013

planilha2013
Seus problemas acabaram!
Já está disponível a versão 2013 Planilha do Fábio Namiuti. Utilizo ela desde 2011, e me ajudou muito, inclusive a perceber que meus batimentos vinham aumentando aos poucos por conta do hipertireoidismo, conforme já relatei aqui.
Para quem gosta de anotar e acompanhar seus treinos, fica a dica: é muito fácil de usar, e você vai ter um relatório completo e minucioso de seus treinos, com planilhas do rendimento semanal, mensal, tipo de treino, etc, etc, etc. Para isso basta registrar seu treino do dia, o resto é por conta dela.
Veja como adquirir a sua nesse link:Planilha do Fábio Namiuti.
Eu recomendo!

Brinquedo Novo!

No dia 05 de Setembro fui presentado com uma Pulseira Nike+ SportBand numa promoção no Facebook do Arquivo de Corridas do Fábio Namiuti em parceria com a Loja GS Shop. Eu nem me lembrava da promoção e foi uma grata surpresa ter sido o ganhador.
Achei que seria bom esperar uma oportunidade especial para pegar o prêmio, mas a vontade de usá-lo logo foi maior, e ontem peguei com o Fábio.
Para quem não conhece, é uma pulseira e um chip que deve ser colocado no tênis compatível Nike+. Como não tenho tênis dessa marca e não pretendo comprar por hora, vi na internet que existe um suportinho para prender o chip no cadarço. Mas dormi matutando aquilo, se eu comprasse o suporte pela internet, seria pelo menos mais uma semana esperando para usar. E foi durante o sono mesmo que a idéia veio. Longe de mim querer aqui, divulgar um método de usar o produto da Nike em um tênis de qualquer outra marca, mas tão logo levantei, resolvi de maneira bem simples a questão: fiz um pequeno corte no lado de dentro da língua do meu tênis ASICS, e ali coloquei o chip, que ficou confortavelmente abrigado, protegido e escondido, e já sai para usá-lo pela primeira vez, em conjunto com o treino do MyCoach da Adidas ativado no celular, para conferir sua precisão.
Para o primeiro treino gostei muito, ele se comportou bem, e não me deixou na mão, pois o GPS do celular perdeu o sinal por várias vezes. O mais legal é a forma de registro e compartilhamento do treino, pois o reloginho pluga direto no computador pelo USB, e já transfere as informações.
Depois que eu já tiver feito uma boa rodagem com meu brinquedinho novo, farei uma avaliação melhor. Mas como incentivo a me fazer voltar a treinar de manhã, já valeu! E lembrando que “só ganha promoção. quem participa!”.

Rotas e mais rotas, como montar a sua.

Existem muitos sites para se montar as rotas de treinos. Todos eles tem suas peculiaridades e alguns podem achar mais fácil ou mais complicado montar suas rotas com os recursos oferecidos.
Eu praticamente uso todos, conforme a conveniência do momento, e gosto muito do oferecido pela Webrun, pois além de montar sua rota, você pode descrevê-la, colocar informações, pontos de água e banheiro, fotos e compartilhar facilmente com outros corredores.
Essa rota, por exemplo, é uma que eu gosto muito de fazer em São José:

Outro interessante é o do MapMyRun. Ele tem uma vantagem de, se você tiver um celular com Android, pode baixar o aplicativo, sincronizar seus treinos, montar suas rotas conforme treina, e treinar nas rotas feitas, com o acompanhamento do GPS.
Essa é uma rota de 33k que fiz em preparação para Maratona:

Rota do Vicentina ao Limoeiro

O mais legal que eu vejo nesses recursos, é que você pode montar seu treino, e correr na distância desejada, mesmo que não possua aparatos tecnológicos, GPS ou outros.
Basta ter a rota na cabeça, um simples cronometro e a vontade de correr.

Por que correr com o apito?

Pode parecer brincadeira, ou excentricidade, mas correr com um apito é algo muito útil.
Aprendi com a amiga e veterana corredora Alda, em Poços de Caldas, que preza e muito pela sua segurança nas ruas. Munida de seu apito, a qualquer movimento estranho, uma pessoa suspeita no caminho, a Alda apita forte, o que inibe uma possível ação inesperada.
Então arrumei um apito, e passei a utiliza-lo nos treinos e corridas, e realmente ele é útil, principalmente na hora de atravessar as ruas e alertar motoristas desatentos. Gosto também de usar no sinal, quando algum carro passa no vermelho, dou uma apitada de dois silvos breves (Será que alguém se lembra o que significa? Quem tem CNH tem obrigação de saber).
O apito também já me salvou, ou pelo menos ajudou a espantar cachorros, que queriam fazer eu dar tiros em dia de trotinho.
E nas corridas, é ótimo para sinalizar aos amigos que encontramos pelo percurso: “estou passando”, além de avisar o fotógrafo desavisado, para não perder a minha chegada.
Claro que tem que saber dosar, para não ser o chatão da corrida.
Enfim, fica a dica, o apito é mais um dos meus acessórios de corredor.

Chegada apitando da Volta ao Cristo 2012 - Poços de Caldas
Apitando na chegada da Volta ao Cristo – 2012
Poços de Caldas – MG