Archive for abril 2015

Aonde suas pernas podem te levar…

PQP_capaO nome já indicava aonde iriamos chegar: Treinão PQP! Organizado pelo amigo Claudemir de Paula, de Taubaté, e que levou os Malucos do Asfalto em peso a madrugarem no pacato bairro de Piedade, na cidade de Caçapava.

As 7 horas a turma estava a postos, sem bem saber o que vinha pela frente, mas muito bem avisados pelo organizador: guardem as pernas, que vocês irão precisar. Corredor tem muito de São Tomé, e precisa de ver, ou correr lá, para acreditar. Hoje não seria diferente.

Galera animada e após as fotos partimos, na manhã agradável e fresca. Parti com meus fones no ouvido, mas ao adentrar na zona rural, me rendi aos sons da natureza, curtir os pássaros, sons dos córregos e trocando ideias com os amigos, desconhecendo ainda o que vinha pela frente.

Depois do km 3, foi possível ver o tamanho da encrenca. Ao olhar a imponente subida que nos esperava, só me deu vontade de rir. Uma capelinha ainda marcava o início, ali me benzi e segui até onde deu correndo, e como na Volta ao Cristo em Poços de Caldas, o único jeito é alternar trotes e caminhadas, que logo passam a ser só caminhada mesmo.

Mas todo cansaço e dor nas pernas, principalmente nas panturrilhas são recompensados pela beleza da paisagem lá de cima.

No retorno, fica até difícil segurar na descida, ladeira abaixo todo santo ajuda, mas tem que ser com cuidado, por conta do cascalho e pedras, além de forçar muito as já desgastadas pernas.

No final a satisfação e alegria de confraternizar com os amigos corredores a façanha realizada.

Sim, nossas pernas nos levaram lá!

Tô atrasado – Night Run Twist

Mal tem dado tempo de treinar, e o que dirá manter em dia os relatos do blog,night_run e assim tem sido a minha correria. Nem tenho feito inscrição para as provas, e para Night Run Twist, etapa São José dos Campos, realizada no dia 28 de Março, não foi diferente. Apesar do valor subsidiado e baixo de R$ 20,00 pela inscrição, acabei esquecendo de fazer, e como não estou tão focado nas provas, deixei quieto. Mas quando me foi oferecida, na véspera, a inscrição para a prova, não pensei duas vezes, e parti em busca da 2ª medalha do ano.

O local já está ficando manjado, se antes todas as provas de São José aconteciam no Vidoca, agora a maioria vai para Via Norte. Mas dessa vez com uma novidade, sentido inverso do normal, e sem a subida da Av. São José que sempre derruba os atletas, principalmente na segunda volta nos 10K.

Focado em terminar os 10K em 50 minutos, logo peguei o ritmo e na primeira volta deu para sentir que a novidade iria ajudar. Completei os primeiros 5K em 24 minutos, dá até uma vontade de parar ao cruzar o pórtico, mas continuei firme nas passadas, deixando cair um pouco o ritmo na subida, no km 6, ali encontrei a Suellen, com dores de lado, e sofrendo para subir, passei uma dica rápida de soltar mais o ar do que puxar, isso equilibra a respiração e não me pergunte o motivo, mas ajuda a diminuir esse mal estar, que derruba o ritmo de qualquer um.

Segui firme, fiz a volta, embalei na descida, e segui firma na meta, até que no KM 8, a mesma Suellen que a pouco eu ajudara, passou como um foguete, mostrando que havia superado a dor e seguia em ritmo bem forte. Aproveitei o embalo, e parti em seu encalço, afinal, se eu perdesse o ritmo, não cumpriria a meta.

Ao focar o pórtico no final do km 9, estava no limite, mas ainda achei forças para fechar em 49m48s, apitando e comemorando muito a consolidação do sub-5 nos 10k.