Archive for julho 2012

Como correr sem pagar inscrição!

O preço das inscrições está cada dia mais proibitivo, e para participar de todas as provas que deseja, o cara ou tem que ser bom de bolso, ou encontrar meios de correr na faixa.
Correr na Faixa, mas inscrito, não estou falando de correr de Pipoca.
Esse ano coloquei como meta não pagar nenhuma inscrição, e até agora a única corrida que paguei, mas que não considero, foi a Etapa São José dos Campos da Longevidade do Bradesco. Não considero, pois o valor de 20 reais é doado integralmente para uma instituição indicada pela Prefeitura. Então, não foi inscrição e sim doação.
Bom, mas como correr sem pagar? Esse ano já corri 2 Maratonas (São Paulo e Rio) e tantas outras provas, ganhando a inscrição. Como? Existem muitas formas.
Ficar de olho nas promoções. Seja no Facebook ou no Twitter. Tem que ficar ligado, e participar de todas. Seguir organizadores, promotores de corridas, marcas esportivas, grupos de corredores, amigos antenados, blogs de corredores, é uma forma de ficar sabendo das promoções.Só ganha quem participa.
Outra forma de correr na faixa é por intermédio das amizades, e ai vale a cara de pau mesmo, é pedir pra pessoa certa, o máximo que pode acontecer é você ganhar a inscrição.
Participar de algum grupo ou equipe de corrida também ajuda. A Equipe 100 Juízo, por exemplo, sempre sorteia entre seus integrantes ativos, as  inscrições que ganha dos promotores.
E finalmente, ficar de olho nas corridas gratuitas. Existem boas corridas grátis, só tem que ficar de olho no calendário, porque elas acabam rapidinho.
Esse ano corri em várias e, só com exemplo, os 15Km de Barueri, surpreendeu pela organização, kit bacana, medalha e camiseta idem.
Amanhã teremos aqui em São José dos Campos a Corrida de Aniversário da Cidade, cujas as inscrições, grátis,  acabaram em 1 hora.
Em breve teremos a corrida de São Francisco Xavier, tem que ser rápido, pra não ficar de fora.
Se alguém quiser tentar a sorte, até domingo, dia 29, você pode participar de uma promoção cultural no blog do Antonio Colucci (clique aqui para participar), que está dando uma inscrição para a 20ª Maratona de Revezamento Pão de Açucar, e ainda poderá convidar 3 amigos para o revezamento. É uma prova bem legal, que participei ano passado, na faixa, convidado pelo amigo Fabio Namiuti.
Correr é tudo de bom, de graça então, é melhor ainda!

Por que correr com o apito?

Pode parecer brincadeira, ou excentricidade, mas correr com um apito é algo muito útil.
Aprendi com a amiga e veterana corredora Alda, em Poços de Caldas, que preza e muito pela sua segurança nas ruas. Munida de seu apito, a qualquer movimento estranho, uma pessoa suspeita no caminho, a Alda apita forte, o que inibe uma possível ação inesperada.
Então arrumei um apito, e passei a utiliza-lo nos treinos e corridas, e realmente ele é útil, principalmente na hora de atravessar as ruas e alertar motoristas desatentos. Gosto também de usar no sinal, quando algum carro passa no vermelho, dou uma apitada de dois silvos breves (Será que alguém se lembra o que significa? Quem tem CNH tem obrigação de saber).
O apito também já me salvou, ou pelo menos ajudou a espantar cachorros, que queriam fazer eu dar tiros em dia de trotinho.
E nas corridas, é ótimo para sinalizar aos amigos que encontramos pelo percurso: “estou passando”, além de avisar o fotógrafo desavisado, para não perder a minha chegada.
Claro que tem que saber dosar, para não ser o chatão da corrida.
Enfim, fica a dica, o apito é mais um dos meus acessórios de corredor.

Chegada apitando da Volta ao Cristo 2012 - Poços de Caldas
Apitando na chegada da Volta ao Cristo – 2012
Poços de Caldas – MG

Maratona do Rio 2012

Minha Maratona começou logo na chegada ao Rio, e achei que minha garganta estava irritada, na dúvida se seria a gripe que me rondava a dias, ou era psicológico por conta do desafio, tomei uma aspirina e acordei melhor e disposto para correr a prova pela qual me preparei durante todo o semestre.
Fui pro busão na madrugada, e ai começou a primeira batalha: O motorista levou a gente pra largada da Meia, e disse que era pra lá que mandaram ele nos levar e não iria pra nenhum outro lugar. Começou uma rebelião, com ameaças de jogar o motorista pra fora e alguém assumir a direção. Sentindo o perigo, ele resolveu nos levar pro Recreio, mas não sabia bem o caminho, mas sempre tem alguém que conhece e guiou. Chegando lá o motorista trancou as portas e disse que só abriria se pagassemos a diferença, pois mandaram ele ir pra um lugar, e ele foi pra outro, e não seria reembolsado ou sei lá o que. Nova revolta, com ameaças de sairmos do ônibus pelas saidas de emergência, e finalmente o cara abriu. já eram 7h15, foi o tempo de colocar minhas coisas no guarda-volumes, e me preparar para largada. Não achei ninguém da 100 Juízo, mas encontrei o Rogerio Carvalho Lelão, grande amigo de treinos de Ribeirão, e fomos juntos.
O Rogério me levou bem até o 28k, dali em diante, o cansaço da gripe me pegou. Não tive dores, não tive caimbras, só tive cansaço da gripe mesmo, estava derrubado, e dali pra frente foi uma batalha, mas tinha colocado na minha cabeça que não andaria, e consegui ir assim até o 30 e poucos, e dali em diante, a cada posto médico que passava, eu olhava, desejando que me chamassem para atendimento, mas, se não me chamaram é que a aparência não estava tão ruim. Fui intercalando caminhadas e trotes até o final, e assim cheguei, esgotado, meu tempo foi maior que em SP: 4h49, mas com a alegria de ver a Paula Fortaleza, a Ana Luíza Araújo, o João Fortaleza de Araújo e Adriana Fortaleza, a família toda, essa Fortaleza toda, comemorando e incentivando e me dando forças na minha chegada.
De noite e na segunda tive febre, mas ainda deu pra passear na cidade maravilhosa, aproveitando o feriado paulista de 9 de julho.
Valeu pela experiência, pelo aprendizado, e que deveria ter respeitado a gripe. Mas se eu não fosse correr também, e a gripe não viesse, ficaria uma sensação de amarelão. Enfim, foi como tinha que ser, e ano que vem eu melhoro isso.